Bravo!Trader

Para Investidores e Empreendedores

Os acidentes ferroviários registrados em todo o ano passado na área de concessão da MRS Logística apresentaram alta de 4% em comparação com o ano anterior, com crescimento no Rio de Janeiro e em Minas Gerais e forte queda em São Paulo.

De acordo com os dados da concessionária, foram registrados 103 acidentes nos três Estados em que atua. São computados no levantamento atropelamentos e batidas em trechos onde o acesso de pedestres e veículos é proibido ou ainda em passagens em nível ao longo do trecho ferroviário.

Desses registros, 48 envolveram veículos e 55 foram resultantes de atropelamentos. Em 2019, houve 99 acidentes no total.

O total de atropelados caiu 27,6% (de 76 para 55), enquanto os acidentes envolvendo veículos mais do que dobraram, subindo de 23 para 48 entre 2019 e o ano passado.

A MRS, criada em 1996, administra uma malha ferroviária de 1.643 quilômetros nos três Estados e concentra cerca de 20% das exportações do país.

Em São Paulo, houve redução de 55,6% no total de acidentes, com 12 ocorrências no total, ante as 27 do ano anterior.

O Rio de Janeiro, ao contrário, apresentou aumento de 41,2% nos acidentes, enquanto em Minas Gerais a alta foi de 13,2%.

O Rio, aliás, foi o Estado com maior volume de ocorrências, 48, seguido por Minas, com 43, e São Paulo.

Por meio da assessoria de comunicação da concessionária, o gerente de segurança operacional da MRS, Filipe Berzoini, disse que os números mostram a importância de ter mais atenção ao atravessar as passagens em nível.

“Em 2020, a circulação de pessoas e veículos foi reduzida em função das medidas de isolamento social. Ainda assim, vemos que houve mais abalroamentos, ou seja, colisões de composições ferroviárias com veículos. O menor movimento nas ruas pode ter levado as pessoas a dirigirem mais desatentas, como se o trânsito menos pesado permitisse um relaxamento.”

Três cidades apresentaram mais casos, com destaque para Juiz de Fora (MG), com 13 acidentes, dos quais 12 atropelamentos.

Em Barra Mansa (RJ), foram 11 casos, com 5 atropelamentos, seguida por Nova Iguaçu (RJ), com 6 registros, sendo 1 atropelamento.

A concessionária diz ter ampliado a vedação da linha férrea em 2,2 quilômetros em Belo Horizonte, Conselheiro Lafaiete e Juiz de Fora (todas em Minas Gerais), e em Aparecida, Guaratinguetá e Taubaté, em São Paulo, para ampliar a segurança ferroviária, além de outras intervenções pontuais.