Bravo!Trader

Para Investidores e Empreendedores

O IGP-M (Índice Geral de Preços Mercado), conhecido como inflação do aluguel, subiu 4,10% em maio e acumulou alta de 37,04% no período de 12 meses, informou nesta sexta-feira (28) a FGV (Fundação Getulio Vargas).

A variação mensal de 4,10% é a maior observada desde novembro de 2002. Considerando a taxa acumulada em um ano, é a maior alta observada desde junho de 1995.

O resultado ficou ligeiramente acima da variação mensal de 4% e dos 36,91% no acumulado em 12 meses projetados pela Bloomberg.

A variação do IGP-M de maio terá efeito sobre os contratos de locação com vencimento em junho. Caso os proprietários decidam aplicar integralmente o reajuste, um aluguel que hoje está em R$ 2.000 passará a custar R$ 2.740,8 no pagamento do mês de julho.

Segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas), os preços de commodities negociadas em dólar voltaram a pressionar a inflação ao produtor, um dos três componentes do IGP-M.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor) avançou 5,23% em maio. A maior influência veio do ciclo de aumentos do minério de ferro. De um recuo de 1,23%, em abril, ele subiu 20,64% neste mês. Também pesaram no índice a cana de açúcar (18,65%) e o milho (10,48%).

André Braz, coordenador dos índices de preços da FGV, diz que esses produtos, juntos, responderam por 62,9% da variação do IPA em maio.